Preocupados com o crescente número de assaltos e furtos que têm ocorrido na cidade de Vinhedo, cerca de 90 pessoas entre comerciantes e moradores de diversos bairros e condomínios e representantes de Entidades e Movimentos Sociais estiveram presentes na noite de quarta-feira (08) no plenário da Câmara Municipal para debaterem sobre a segurança pública na cidade de Vinhedo.

Para ouvir a população o vereador Rodrigo Paixão (REDE), convidou a Polícia Militar, que esteve representada pelo Tenente Fábio Azevedo, a Polícia Civil representada pelos investigadores Ivone dos Santos e Lucas Agentilho e o promotor de justiça do Ministério Público Dr. Rogério Sanches Cunha.

Na oportunidade foi apresentada oficialmente a organização do movimento Vinhedo + Segura, composto por aproximadamente 60 moradores e comerciantes do Município, que tem como objetivo fiscalizar e cobrar as autoridades a respeito das políticas de segurança pública.

Representado o Poder Legislativo, além do vereador Rodrigo Paixão, marcaram presença Edson PC (PDT), Sandro Rebecca (PDT), Cidinho Fróis (PMDB), Marcos Ferraz (PSD) e Carlos Florentino (PV). Os vereadores Nil Ramos e Paulinho Palmeira não puderam comparecer, mas justificaram a ausência.

A ausência do secretário de Segurança que foi convidado e justificou compromissos pessoais foi sentida e muito comentada pelos presentes. A Secretaria de Segurança não enviou nenhum representante para participar do evento.

O Coronel Ricardo Guidi, vice-presidente do CONSEG (Conselho Comunitário de Segurança de Vinhedo) e coordenador do projeto Vizinhança Solidária fez uma apresentação e incentivou a população a aderir ao projeto.

Os representantes da Polícia Militar e Polícia Civil concordaram que há um número reduzido de policiais que deveriam fazer a segurança na cidade, mas alegaram que esse é um problema enfrentado em todo o Estado e reforçaram a importância do registro do Boletim de Ocorrência.

Um comerciante que teve seu estabelecimento assaltado 06 vezes, reclamou da dificuldade e demora em registrar um Boletim de Ocorrência na delegacia, o que faz com que muitas vítimas deixem de prestar queixas. Vários moradores também expuseram outras reclamações e preocupações.

Uma comissão composta por 10 pessoas foi formada. Ela será responsável pelos encaminhamentos debatidos e aprovados e pela sistematização das propostas iniciais que serão encaminhadas ao CONSEG, Polícia Militar, Polícia Civil, Prefeitura e Guarda Municipal.

PROPOSTAS

  • Atualização do Código de Posturas (avaliando possíveis multas e mecanismos de fiscalização);
  • Fortalecimento do Projeto Vizinhança Solidária;
  • Aumento do número de rondas/blitz;
  • Manutenção das câmeras de monitoramento;
  • Estudar o uso de estagiários e convênios com universidades;
  • Manutenção e uso das principais guaritas (postos de fronteira);
  • Aumento do contingente de guardas e policiais nas ruas do município;
  • Manutenção do disque 153 da Guarda;
  • Prefeitura voltar a pagar horas extras dos profissionais que precisam ficar de plantão na Delegacia;
  • Organização de uma central de informações e orientações para a população;
  • Ter integração efetiva entre as forças de segurança (compartilhamento de vídeos, documentos e informações);
  • Elaborar campanha sobre a importância de se registrar o BO e sobre a forma correta de se divulgar, evitando exposição desnecessária;
  • Incorporar as propostas já formuladas pelo Movimento Vinhedo+Segura;
  • Incorporar propostas já debatidas nas últimas reuniões do CONSEG;
  • Elaborar curso sobre técnicas básicas de segurança;
  • Avaliar uso de um mecanismo dinâmico de comunicação que pudesse compartilhar com velocidade alertas para grupos de cidadãos (whatsapp);
  • Estudar e incorporar propostas do Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas (COMUD);
  • Manutenção da iluminação pública em todo o município;
  • Cobrar os governos federal e estadual;
  • Repensar o modelo de Festa da Uva que traz milhares de pessoas em um único dia, sem muitas contrapartidas para o município;
  • Estudar a criação de um terminal na Delegacia para controle de boletins de ocorrência e impressão;
  • Estimular o preenchimento de Boletins de Ocorrência on line (demonstrando que têm o mesmo valor);
  • Avaliar o uso do mecanismo de voluntariado para atuação nas instituições de segurança;
  • Fazer levantamento de principais necessidades da Polícia Militar e Polícia Civil, no que diz respeito a equipamentos e móveis que o governo do Estado de São Paulo não fornece, para obtenção de doações de cidadãos e empresas;
  • Adotar mecanismos de prevenção e não somente de repressão;
  • Ação conjunta com as Secretarias de Promoção Social, Educação e Esportes;
  • Redimensionamento das equipes de segurança que atuam nas ruas e em atividades administrativas.

ENCAMINHAMENTOS

  •  Reunir os membros da Comissão de Sistematização nos próximos dias para trabalhar as propostas, indicando quais são os órgãos que deverão ser cobrados;
  • Participação efetiva na reunião do Conselho Municipal de Segurança. Próxima agenda: 21 de fevereiro às 19:45;
  • Vereadores irão elaborar moção de apelo para autoridades e instituições ligadas à Segurança Pública;
  • Solicitar reuniões com os comandos das forças de segurança: Guarda Municipal (Prefeito e Secretário de Segurança). Polícia Militar (Comando regional/estadual) e Polícia Civil (comando regional/estadual).

COMISSÃO: Arnaldo Zaupa, Cristiane de Maria Soares Bouça, Daniel Comporto Montero, Danilo Schiezaro, Fábio Cuono, Grace Cruz, Igor Lara Diniz, Rafaella Giraldi, Ricardo Guidi, Sérgio Argentino Licciardi.