Para aonde caminha Vinhedo?

Vinhedo triplicou sua população em três décadas. Nos anos 80, a então pacata cidade do interior de São Paulo tinha pouco mais de vinte mil habitantes. O último censo do IBGE apontou que Vinhedo chegou ao ano passado com 63.685 habitantes.

Uma primeira análise desses dados já indica as profundas transformações que a cidade está passando. Além de um rápido crescimento populacional, o perfil da população foi radicalmente alterado.

Do total da população, 61.688 (96,86%) vivem em áreas urbanas. Somente 1.997 vinhedenses (3,14%) residem em áreas rurais. A agropecuária emprega algo em torno de 0,6% dos vinhedenses. Na economia representa menos de 0,2% das riquezas produzidas (valor adicionado).

Os números falam por si e confirmam aquilo que já é evidente ao circular pelo município: ficou para trás a cidade da uva e do vinho. Nossas riquezas são geradas na indústria, nos serviços, no comércio e na construção civil.

Somos a sexta economia mais dinâmica do país e temos um carro para cada habitante, se considerarmos a população economicamente ativa. Existe bom nível de empregabilidade e o tempo todo pessoas chegam de vários lugares do país para viver na cidade.

Mas afinal, esse crescimento está sendo planejado? O que vai ser a Vinhedo que deixaremos para nossos filhos e nossos netos? Crescendo de forma desordenada e sem saber aonde queremos chegar, o que será da nossa cidade em 10, 20, 30 anos?

A sensação que tenho é que não estamos nos preparando como poderíamos e deveríamos. É perfeitamente possível continuar crescendo, desde que isso aconteça de forma planejada e ordenada.

O colapso no trânsito em vários setores da cidade, a falta de infraestrutura, as quedas de energia e a falta de água são alguns dos muitos exemplos que podem ser citados para demonstrar que caminhamos perigosamente para um futuro incerto.

Não precisamos acabar com todas as áreas verdes, destruir todas as nascentes e poluir os rios para ser uma cidade rica. Um governo sintonizado com a vocação da cidade pode conciliar o desenvolvimento de uma forma onde todos saiam ganhando.

Vinhedo pode reservar uma parte de seus recursos para manter uma produção de vinho e uva de qualidade sem que isso esteja em contradição com os outros setores econômicos. Essa é uma tarefa de quem pensa grande: preservar a tradição, cuidar do meio ambiente e crescer de forma sustentável.

Temos 82 quilômetros quadrados onde podemos viver bem, preservar nosso meio ambiente, ter uma economia pulsante e promover políticas públicas que garantam uma gestão democrática do território.

Estou entre aqueles que escolheram Vinhedo para viver e que não estão por aqui somente de passagem.  Por isso estou convencido que o debate sobre o futuro da cidade é estratégico para definirmos quais são as medidas necessárias para construirmos, de fato, e não como peça publicitária, a “cidade que queremos”.

Artigo publicado nos Jornais Tribuna de Vinhedo e Folha Notícias, nos dias 20 e 21 de maio, respectivamente.

Anúncios

  1 comment for “Para aonde caminha Vinhedo?

  1. 24 de maio de 2011 às 14:07

    A tendência é piorar ainda mais.
    A cidade de Valinhos esta planejando a construção de um condomínio com 6.000 lotes na divisa com Vinhedo, na estrada Vinhedo/Itatiba, bem em cima das nascentes do Córrego do Bom Jardim.
    Mais informações no serradoscocais.blogspot.com

    Curtir

Muito obrigado por sua contribuição.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s