Vinhedo voltou a sorrir?

Na manhã deste pacato 1º de janeiro de 2009, um novo comando político assumiu a cidade. Novo no sentido de alternância no poder, porque, na realidade, é a volta do velho.

É preciso relativizar muito do que é dito nas rodas políticas da cidade. Assume hoje um governo que não havia conseguido fazer seu sucessor em 2004 e que foi eleito com os votos de menos da metade da população no último pleito.

Vinhedo voltou a sorrir?

Em várias pesquisas que tive acesso, me convenci que os votos recebidos pela coalizão liderada por Milton Serafim são, em sua maioria, votos de rejeição ao governo que finda.

Passada a euforia, os fogos de artifício, aviõezinhos com caricaturas, agora é a vida das pessoas que está em jogo. A cidade que é um dos melhores lugares pra se viver no estado de São Paulo está mesmo em sintonia com este grupo que acaba de entrar na Humberto Pescarini?

A Vinhedo que se notabilizou pela qualidade de vida que oferece a seus habitantes, foi vista nos últimos anos em manchetes de jornais com lideranças políticas envolvidas em denúncias de corrupção.

Inquéritos, boletins de ocorrência, Comissões Especiais na Câmara. Prisões. Enquanto isso, os índices de violência aumentavam, a saúde e a educação pioravam. Esta disputa odiosa, aliada a falta de visão estratégica, colocou a cidade em uma rota perigosa.

A nomeação do Secretariado, primeiro ato do chefe do executivo eleito, merece atenção especial. Milton Serafim afirmou logo após a confirmação de sua vitória que comporia um Secretariado com um perfil mais técnico.

Com raras exceções, uma rápida análise nos nomes mostrará que essa é sua primeira incoerência. O perfil dos nomes atende basicamente a três questões: 1 – abrigar as forças políticas que estavam em sua coalizão; 2 – mostrar para a cidade que este será um governo diferente do anterior, principalmente no que diz respeito à ética e ao trato com o dinheiro público; 3 – atender interesses dos setores políticos e sociais que financiaram sua campanha.

Pretendo comentar isso com mais rigor, mas uma coisa, em especial, mostra que existirá um secretariado formal e outro que exercerá o poder real. Onde está aquele que para o bem e para o mal é o grande comandante de toda esta arquitetura que conduziu, em 1996, Milton Serafim ao poder?

Alexandre Tasca, juntamente com outros personagens importantes não figuram neste “secretariado formal”, apesar de ter enorme influência em praticamente tudo que é decidido.

Com processos criminais e cíveis decididos contra o prefeito eleito, ações em curso e um clima de grande desconfiança por parte de um setor significativo da população, Vinhedo voltou mesmo a sorrir?

Inegavelmente, Milton Serafim e seu grupo além de hábeis politicamente, são bons de marketing. Hoje, mais uma festa foi feita pra manter o clima de euforia.

Por suas práticas, sabemos que juntar o povo na rua pra comemorar sua posse não tem nenhuma relação com participação popular, nem com transparência. Tem muita mais relação com a milenar política do “pão e circo”.

Agora que o ôba-ôba deixou as ruas, Vinhedo voltou a sorrir?


Rodrigo Paixão, 1º de janeiro de 2009

Anúncios

  1 comment for “Vinhedo voltou a sorrir?

  1. Cássia Janeiro
    14 de janeiro de 2009 às 22:38

    Olá, Rodrigo! Você tem os nomes dos secretários do Milton? A propósito, gosto demais da forma como escreve! Beijos, Cássia

    Curtir

Muito obrigado por sua contribuição.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s